Laboratório de Sociologia do Trabalho LASTRO
  • “Pandemia e precarização do trabalho” é tema de debate nesta terça às 19h

    Publicado em 03/08/2021 às 12:38

    A decisão da justiça do Reino Unido que reconheceu vínculos trabalhistas entre motoristas e um serviço de aplicativos será objeto do debate “Pandemia e precarização do trabalho”, hoje (03/08), às 19h, no canal do YoutTube do Fazendo Escola e no facebook do Lastro. A discussão reunirá a pesquisadora do Cesit/Unicamp Ludmila Abílio e o arqueólogo Rossano Bastos, assessor do Sinjusc.

    O painel terá um ato de apoio à libertação do ativista Paulo Galo, preso desde semana passada pelo ato político contra a estátua de Borba Gato. Galo, que é liderança do grupo Entregadores Antifascistas, havia confirmado presença no debate antes de ser preso.

    A atividade é parte do ciclo de seminários O Futuro do Trabalho: Perspectivas Latino-Americanas, copromovido pelo Lastro e pela Fazendo Escola, com apoio de organizações sindicais. Participe!


  • Jornada científica de pesquisas sobre trabalho prorroga recebimento de resumos até 5/8

    Publicado em 26/07/2021 às 15:17

    Um grupo de pesquisadores.as dos mundos do trabalho no Centro de Filosofia e Ciências Humanas promoverá em 27 de agosto uma jornada científica para reunir professores-pesquisadores/as com projetos sobre o tema na UFSC. O objetivo é avançar na consolidação de uma rede de pesquisa sobre o trabalho na universidade, para desenvolver projetos em conjunto e promover conexões com a rede de organizações de trabalhadores em Santa Catarina. O projeto é liderado por Thaís Lapa (departamento de Sociologia e Ciência Política/LASTRO), Suzana Tolfo (Psicologia), Glaucia Fraccaro e Adriano Duarte (História), com apoio da direção do CFH. Inscrições prorrogadas até às 13h do dia 5/08 (quinta-feira) pelo email  (detalhes na chamada abaixo).

    Prazo para submissões prorrogado – Chamada para Jornada Científica – Estudos do Trabalho na UFSC

     


  • Lastro lança pesquisa sobre trabalhadores.as por conta própria

    Publicado em 18/07/2021 às 14:40

    Os resultados da primeira etapa do estudo “Informalidade e discriminação racial e de gênero no trabalho ‘por conta própria’ no Brasil”, realizado pelo Lastro, foram divulgados na semana passada. O relatório “Nas dobras da precariedade” identificou as características e revelou desigualdades entrecruzadas nos mais de 24 milhões de trabalhadores.as por conta própria urbanos do país, com base em uma metodologia que interseccionou dados de renda, gênero, raça, região em ocupações mapeadas pela PNAD-C (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios Contínua).

    Coordenada pelos professores Jacques Mick (CFH/SPO/LASTRO-UFSC) e João Carlos Nogueira (REAFRO e NEN/UFSC), a pesquisa revelou que os.as “conta própria” são 77% informais. Sob a ótica da divisão sexual do trabalho, a maioria são homens (63%), sendo 35,5% e 27,3% brancos. Entre os 37% de mulheres, 19,7% são brancas e 17,6% negras. Foram analisadas também a distribuição de tais trabalhadores.as por faixas de renda (até R$ 500, R$ 500,00 a R$1.000,00, R$ 1.001,00 a 2.000, R$ 2001,00 a 4.000,00 e mais de R$ 4.000,00) e pelas 20 principais profissões que ocupavam.

    Veja mais informações aqui. 

    A perspectiva analítica que coaduna a divisão sexual com a racial do trabalho e as situa em perspectiva histórica – que remete à longa trajetória de estruturação de desigualdades no mercado do trabalho brasileiro – orientou e contextualizou os achados da pesquisa a respeito da concentração das ocupações pior remuneradas (até 1000 reais mensais) entre a população negra. Dentro deste universo, padrões de segregação por gênero existentes no mercado de trabalho se repetem: mulheres negras predominam em serviços de beleza, costura e trabalho em cozinhas, enquanto homens predominam nas atividades da construção civil e como condutores de motocicletas.

    De outra parte, no outro topo das remunerações analisadas, acima de 4 mil reais, o cenário é inverso. A maioria são trabalhadores.as brancos.as – que são, novamente marcados.as pela segregação ocupacional por sexo: entre homens brancos, a atividade principal é a de agricultores e trabalhadores qualificados em atividades da agricultura, seguida de engenheiros civis e representantes comerciais e entre mulheres brancas, predominam profissões liberais que requerem ensino superior, como a de psicóloga, seguida da de fisioterapeuta.

    Em síntese, identifica-se que na pirâmide ocupacional dos.as conta própria, o topo das atividades melhor remuneradas é ocupado por homens brancos, seguidos de mulheres brancas, homens negros e, por fim, na base da pirâmide, estão as mulheres negras. Ou seja, à medida que a renda cresce, o trabalho por conta própria se torna um mundo mais branco e mais masculino.

    A pesquisa oferece uma importante contribuição aos estudos sobre o trabalho por conta-própria no Brasil, que historicamente são predominantemente informais e que foram parcialmente impactados, na primeira e início da segunda década dos anos 2000, por iniciativas de formalização, que converteram parte deles.as em MEIs. O estudo também joga luzes e melhor define os contornos do que se chama genericamente de “empreendedores.as” no país.

    Na primeira fase, a metodologia de extração e de análise dos dados, chamada de interseccional ou consubstancial, que entrecruza as dimensões de gênero-raça-classe (aqui representada por renda), além de região e distribuição ocupacional, foi central para revelar a heterogeneidade da composição dos.as “conta própria”.

    O diagnóstico produzido também é relevante para a orientação e formulação de políticas públicas relacionadas a trabalho e renda no Brasil.

     

    Confira aqui a íntegra do relatório da pesquisa.

     

    Outros dados a respeito da pesquisa podem ser conferidos nas notícias a seguir:

     

    A segunda fase da pesquisa, de cunho qualitativo, ainda a ser divulgada, explorará justamente a problemática do empreendedorismo a partir da perspectiva dos grupos e entidades dedicados.as a organizar trabalhadores.as por conta própria.

    ________

     

    Equipe responsável pelo estudo: 

     

    • Coordenação:

    Jacques Mick – Universidade Federal de Santa Catarina/ Departamento de Sociologia e Ciência Política/Laboratório de Sociologia do Trabalho

    João Carlos Nogueira – Rede Brasil Afroempreendedor (Reafro)/ Observatório da Rede Brasil Afroempreendedor (UFSC/Reafro)

     

    • Equipe da UFSC:

    . Professores do Departamento de Sociologia e Ciência Política:

    Jacques Mick (Coordenação geral)

    Thaís de Souza Lapa

    . Pesquisadores.as:

    Arland de Bruchard Costa (Mestre)

    Delza da Hora (Mestranda)

    Juliana de Jesus Grigoli (Doutora)

    Lucas Ferreira (Doutorando)

    Tomás Barcellos (Mestrando)

     

    • Infografia:

    Frank Maia

    Fran Louise


  • Projeto de extensão “Leituras do mundo do trabalho” terá início em julho

    Publicado em 30/06/2021 às 12:07

    Entre julho e dezembro de 2021, será realizado o Projeto de Extensão à comunidade “Leituras do Mundo do Trabalho“. Serão 8 encontros, sempre das 14 às 16h, dedicados ao estudo coletivo e discussão de temas relevantes para a compreensão das condições e relações de trabalho na atualidade. Confira a programação prevista:

    09/07: Reflexões conceituais do trabalho na América Latina

    30/07: Transformações no mundo do trabalho

    20/08: Metamorfoses do trabalho e novos atores

    10/09: A precarização do trabalho no Brasil

    01/10: Dimensões da precarização neoliberal na saúde dos trabalhadores

    22/10: Dimensões da precarização neoliberal na saúde dos trabalhadores

    12/11: Resistências e lutas sindicais

    03/12: Resistências e lutas sindicais

     

    Público-alvo: Qualquer interessado.a em debater assuntos relacionados ao mundo do trabalho está convidado.a!

    Inscrições (limitadas): até o dia 02/07/21 [ENCERRADAS!]

    Com certificação de horas.

     

    Realização: Laboratório de Sociologia do Trabalho da UFSC e Centro de Estudos e Pesquisa em Trabalho Público e Sindicalismo (FAZENDO ESCOLA) do SINJUSC.


  • LASTRO lançará ciclo de seminários sobre o futuro do trabalho na América Latina em maio

    Publicado em 09/05/2021 às 17:15

    O futuro do trabalho na América Latina se tornou ainda mais incerto após o início da pandemia de COVID-19. A Universidade pública, como espaço de produção, acumulação e disseminação de conhecimentos, desempenha uma função social imprescindível para compreender a realidade e projetar o futuro. Através do princípio constitucional de indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão, o ciclo de seminários “O futuro do trabalho: perspectivas latino-americanas”  objetiva promover a articulação do conhecimento científico com a sociedade através da divulgação de pesquisas, experiências e debates sobre o trabalho na América Latina.

    O Ciclo de Seminários é realizado pelo Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO), vinculado à Universidade Federal de Santa Catarina, e pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Trabalho Público e Sindicalismo (Fazendo Escola), vinculado ao Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Santa Catarina (SINJUSC). Conta com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário Federal no Estado de Santa Catarina (SINTRAJUSC) e do Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (SINDJUSRS).

    Conferência de Lançamento, no dia 21 maio de 2021, às 19h, assim como os seminários, previstos para outubro e novembro de 2021, irão ocorrer de maneira virtual, com a transmissão audiovisual pelo canal do Youtube “Fazendo Escola” e de facebook do Laboratório de Sociologia do Trabalho/UFSC, com acesso público e gratuito por tempo indeterminado.

    Informações sobre o evento podem ser acompanhadas em: https://futurodotrabalho.paginas.ufsc.br/

     


  • LEFIS – Roda de Conversa: Metodologias e Práticas do Ensino de Sociologia em Tempos de “Escola Sem Partido”

    Publicado em 05/07/2019 às 15:28


  • TERRORISMO DE ESTADO E O CASO BATTISTI

    Publicado em 26/03/2019 às 16:22


  • GEPENSAH 2019.1 oferece curso de extensão sobre o Fascismo

    Publicado em 18/02/2019 às 15:35

    O Grupo de Estudos e Pesquisas “Mundos do trabalho: pensamento político-social heterodoxo” (GEPENSAH) convida para o curso de extensão do primeiro semestre de 2019, que consistirá no Grupo de Estudos da obra Labirintos do Fascismo: na encruzilhada da ordem e da revolta, do pensador português João Bernardo:

    • Linha 1 – Trabalho, Conselhos e Autonomia:

    EXPRESSÕES CONTRARREVOLUCIONÁRIAS DO MUNDO DO TRABALHO I: O NAZI-FASCISMO – Labirintos do Fascismo, de João Bernardo Programa

    Data e Hora: 1º encontro no dia 13 de março, às 9h da manhã.

    Local: LASTRO (sala 301 do bloco D do CFH).

    O GEPENSAH informa:

    1) Por estar estruturado como atividade de extensão, a participação é aberta para qualquer pessoa – sem necessidade de vínculos acadêmicos ou barreira de escolaridade; 2) Critérios de participação: a) Compromisso de realizar as leituras com antecedência; b) Comparecimento presencial nas sessões semanais; 3) Participante com frequência igual ou superior a 75% fará jus a certificado; 4) Não é preciso realizar inscrição prévia, apenas comparecer no primeiro dia de reunião.

    Contato: Prof. Iraldo Matias – iraldo.matias@externos.ufsc.br


  • Revista Em Debate (RED) publica novas edições

    Publicado em 18/10/2018 às 19:54

    A revista EM DEBATE, vinculada ao Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO/UFSC), acaba de lançar os números 16 (2016.2) e 17 (2017.1).

    Para acessar o conteúdo da revista click nos links abaixo e aproveite para seguir nossa página no facebook.

    Número 16. https://periodicos.ufsc.br/index.php/emdebate/issue/view/2493

    Número 17. https://periodicos.ufsc.br/index.php/emdebate/issue/view/2494

    Facebook: https://www.facebook.com/revistaemdebate/

    Atenciosamente,

    Equipe editorial
    ___________________
    Revista EM DEBATE
    http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/emdebate/index


  • Palestra: Mário Pedrosa e os debates sobre a economia brasileira

    Publicado em 22/08/2018 às 21:50

    Convidamos para a palestra do Prof. Dr. Everaldo de Oliveira Andrade (Dep. de História e Programa de Pós-graduação em História Econômica/USP) sobre: “Mário Pedrosa e os debates sobre a economia brasileira”.

    Em sua exposição, Prof. Everaldo irá discutir os resultados de sua pesquisa sobre o pensamento politico de Mário Pedrosa, e seu diálogo intelectual com outros autores brasileiros e latino-americanos do século XX em relação à temática do desenvolvimento econômico.

    Data: 2ª. feira, 27 de agosto,

    Hora: 18:30h,

    Local: sala de reuniões do programa de Pós-graduação em Sociologia Política (PPGSP), no CFH.

    Doutorando Josnei Di Carlo, Prof. Ricardo G. Müller e Coordenação do PPGSP